Programação / PHP

Documentando aplicação com UML usando três tipos de diagramas

Veja como que diagramas podem tornar o seu processo de desenvolvimento mais assertivo e otimizado, evitando duplicidade de código e padronizando seu sistema

Por Gustavo Web

Publicado por Gustavo Web
em 11/01/2019 às 10h59

Lista VIP UpInside

Entre para nossa lista VIP e receba vídeo aulas, artigos e tutoriais exclusivos e com prioridade

  QUERO ENTRAR

Aula exclusiva UpInside Play

Acessar aula no Play

Compartilhe:

Salve salve moqueridos, estamos aqui com mais um pedido sendo atendido no UpInside Play e o assunto da vez é UML!

Se você não sabe o que significa UML, é o acrônimo de Linguagem de Modelagem Unificada. A vantagem disso é que você usa o UML para ilustrar o comportamento ou as necessidades do sistema de uma única maneira independente de linguagem de programação que você esteja trabalhando.

Um ponto legal, é que você consegue usar UML para explicar um comportamento ou fazer um levantamento de requisito, mesmo com quem não é da área de desenvolvimento e não tem conhecimento técnico.

É comum em empresas de grande porte, com um grande time de desenvolvimento precisar documentar trechos do sistema ou até mesmo apresentar uma possível solução para a alta cúpula... Nesse caso, com UML você mata dois coelhos de uma vez só.

Isso sem contar que quando você cumpre essa etapa do projeto, além de ficar organizado e evitar duplicidade (como eu mostro na aula), você ainda tem mais liberdade para atribuir tarefas aos desenvolvedores! Todos passam a ter uma visão macro do negócio, e cada um sabe da responsabilidade específica que precisa ser feito.

Para colocar os exemplo na tela, eu uso um programa chamado StarUML. Você pode baixar ele na sua máquina independente do seu sistema operacional ou ainda usar o alternativeto.net para pesquisar alguma alternativa pra ele.

Na aula eu mostro 3 diagramas diferentes!

Diagrama de Caso de Uso

Esse é um dos diagramas mais simples que se tem e geralmente é um dos primeiros a serem feitos! Você pode até fazer o seu brainstorm já puxando para esse lado de UML para ter uma modelagem já pré montada.

Durante a aula eu entro em algumas especificidades sobre esse diagrama:

Os 3 principais elementos

Temos o ator (ou atores) que deve representar um acesso externo, um cargo, uma função ou uma pessoa de fato perante ao sistema!

Há o caso de uso em si, que você vai usar para representar uma funcionalidade completa e não apenas um trecho da tarefa ou comportamento... Para que você entenda isso dirieto:

Um caso de uso é por exemplo Locar um Imóvel. As tarefas como verificação de renda compatível com o aluguel, verificação do fiador, redigir o contrato, remover o imóvel do site.... Essas tarefas ficam abstraídas dentro de uma tarefa maior.

E por fim, temos os relacionamentos para ligar o ator ao caso de uso! Quando se tem mais de um ator na mesma modelagem isso acaba fazendo toda a diferença.

Documentando aplicação com UML usando três tipos de diagramas

Esse é um exemplo de diagrama de caso de uso utilizado para documentar as funcionalidade de locador e locatário num sistema imobiliário por exemplo. Você pode mostrar esse diagrama para quem não tem conhecimento técnico de desenvolvimento, a cognitivamente a pessoa vai entender do que se trata e como funciona.

Diagrama de Classe

Nesse tipo de diagrama já entra um pouco de conhecimento técnico principalmente sobre a Orientação a Objetos. Aqui você já começa a ver atributos, métodos, encapsulamento, tipo de dados...

Aqui você já passa a pensar de maneira lógica como funcionará a sua aplicação e a abstração que você deve fazer no seu banco de dados. Você deve sentar com o seu time de desenvolvimento para que todos possam auxiliar e dar ideias de possíveis soluções.

Documentando aplicação com UML usando três tipos de diagramas

Você pode notar que também existem relacionamentos entre as classes, e esse relacionamento não necessariamente precisa ser simples! Dependendo do nível de documentação que você está fazendo você pode informar se é uma associação, agregação, composição e também a multiplicidade dos relacionamentos.

A multiplicidade é o famoso de um pra um, de um pra muitos, de muitos pra muitos... A representação é feita com um algarismo, dois pontos contínuos e outros algarísmo. Para representar a multiplicidade de um pra um, você usa a conotação 1..1.

Diagrama de Sequência

O objetivo desse diagrama é mostrar o relacionamento que o cliente tem com a sua aplicação e ainda a comunicação que a sua aplicação tem com outros meios ou interfaces.

O ciclo da requisição aqui você consegue mostrar num panorama mais amplo sendo possível até mesmo identificar pontos de gargalo.

Os componentes desse diagrama é o lifeline (podendo ter outros nomes também dependendo do livro que você está estudando), as mensagens (que possuem diversas vertentes) e a resposta que quase sempre é obrigatória.

Documentando aplicação com UML usando três tipos de diagramas

O conhecimento tecnico aqui também não é essencial, no entanto que facilmente você consegue compreender o que está sendo feito simplesmente analisando. Cabe muito mais a interpretação (como um gráfico) do que o seu nível de desenvolvimento.

Todos os diagramas visto aqui você pode usar no pré-projeto para planejar melhor a aplicação ou até mesmo no pós-projeto para documentar o que está sendo feito e facilitar a manutenção do seu time de desenvolvimento.

Feedback

Espero que você tenha curtido esse conteúdo e me fala aqui abaixo nos comentários o que você achou dessa aula :)

Me diga se você já usa UML ou se começará a usar a partir daqui!

Compartilhe:

Em Programação:

Deixe seu comentário: