Desenvolvimento Web / Otimização de Sites

Metas básicas, mensuração e otimização. Vamos iniciar o nosso projeto SEO!

Você sabe dar os primeiros passos em uma campanha SEO? Confira neste arquivo os requisitos básicos e as ferramentas essenciais dar arranque ao seu projeto de otimização.

Por Robson V. Leite

Publicado por Robson V. Leite
em 16/08/2014 às 21h36

Lista VIP UpInside

Entre para nossa lista VIP e receba vídeo aulas, artigos e tutoriais exclusivos e com prioridade

  QUERO ENTRAR
Compartilhe:

Bem-vindo(a) a mais um artigo aqui na UpInside @AlunoNome. Neste vamos falar dos primeiros passos em uma campanha SEO. Como mensurar resultados iniciais, e se seu projeto já está pronto para converter resultados de qualidade.

Antes vale lembrar de antes do SEO. Onde falamos sobre o conteúdo, que é o foco de qualquer campanha tanto de SEO quanto em qualquer cenário no marketing digital. Falamos disso no artigo Mas afinal, o que é SEO? E quais são os requisitos para uma boa otimização?.

Já tendo isso em pauta. Podemos iniciar!

ESTRUTURA:

Para que possamos receber usuários e realizar boas métricas em trafego precisamos de algumas aplicações básicas na estrutura de nosso site, vamos chamar isso de requisitos A. Essas APP’s visam fornecer uma boa navegação para manter o usuário mais tempo conectado. Usuários que entram e saem logo convertem negativamente, pois o motor entende como abandono.

Isso é mensurado como uma propaganda falsa. O usuário entrou em seu site por trafego orgânico e logo saiu? Então seu site não cumpre o que promete. Seria mais ou menos por ai. Mas vai além.

Temos também os requisitos B. Onde não o usuário, mas o robô do motor de busca é o fóco. Aqui temos que servir o mínimo de tecnologia para que esses mecanismos possam encontrar o conteúdo relevante. Conteúdo esse que atraiu esse robô até o site.

Pensando na Persona:

Para nossos requisitos A, temos que ter o conteúdo qualificado e bem servido. Para isso temos as técnicas de UX. Que são muito importantes para um bom relacionamento com o acesso. Mas antes de falar nisso, imagine que você é o usuário. Como você gosta de navegar? Agora pense em um amigo, ou parente que não tenha intimidade com a WEB, essa será nossa PERSONA. Essa persona vai conseguir navegar?

Para esse passo você pode realizar um teste bem simples. Monte sua página e realize uma métrica. Converter em um e-mail, continuar a navegação, chegar a um ponto que você possa mensurar. Um objetivo. Em nosso exemplo será capturar o e-mail.

Agora com sua página pronta. Chame sua persona para realizar a métrica. Mas não mostre como. Apenas diga para ela informar seu e-mail na página. Já entendeu o teste né? Se ela conseguir sem dificuldade estamos indo bem.

Lembre-se, de sempre dar destaque ao conteúdo, configure para cada página um objetivo ainda antes de marcar da mesma. E se proponha em facilitar a conversão desse objetivo. Assim você aumenta a taxa de conversão. E caso o acesso seja rápido pela arquitetura proposta, você ainda terá cumprido uma métrica.

Siga-me robô:

Para o motor o trabalho é bem mais fácil. Claro, eu digo isso entendendo que você é aluno da UPINSIDE e já tem pelo menos o PRO PHP. Ainda não? Então pode não ser tão fácil assim. Mas nada impossível. Vamos falar somente do bem básico.

O primeiro requisito B aqui é ter seu site em uma boa estrutura de URL amigável. Nada de postid=25. Os motores mensuram o acesso pelas palavras-chave, e esse processo é iniciado na URL. Por isso esse é um dos requisitos mais importantes neste passo.

Veja que existe um detalhe muito importante aqui. Já, já, eu digo.

O título e o nó body:

Se você já trabalha com SEO de marcação. Sabe que o HTML é a ferramenta mais poderosa para distribuir conteúdo para os motores. O HTML5 então dá um banho nesse requisito. Sabemos também que o HTML é composto por nós de entrada. É nestes nós que definimos a hierarquia e a importância do conteúdo.

O Nó body é o container mais importante de nosso site. Geralmente utilizamos ele no header embutido na logo e com um título dinâmico que fornece a informação do conteúdo.

Esse nó deve fornecer o vínculo de conteúdo do nosso site com a URL e o título. Assim conseguimos ampliar nossa propriedade sobre a página em questão. Falando na palavra página. Evite ela na URL. Os motores não gostão do /pagina/contato ou /pagina/qualquer-coisa.

Já o título será responsável por ditar esse conteúdo, onde temos a autoridade e o assunto sendo iniciados. A autoridade será o nome do seu site ou empresa. Pra fechar com chave de ouro, podemos ainda ter um subtítulo, ligando o body, com o conteúdo e dando a continuação.

Nestes 3 caras, o que vai ser mensurado pelo motor são as palavras-chave. Elas que vão ligar e dar propriedade ao assunto, indicar o autor e percorrer o conteúdo. Vejamos um exemplo prático.

Veja esse artigo que você está lendo agora. No título do site você encontra a autoridade (UpInside), as palavras otimização e SEO.

Já no body temos o mesmo título servido sem a autoridade. O que dá a ligação entre a página e o conteúdo. E ainda logo no texto de subtítulo abaixo da imagem, temos as palavras sendo servidas em outro contexto. O que dá a continuidade segmentada para o artigo.

Mas como isso é feito?

A primeira marcação é de meta dados, e deve ser realizada dentro do head do site. Aqui teríamos o title que deve ser ligado a URL. No exemplo abaixo temos a TAG servida a fim de promover a autoridade:

<title>Autoridade – Título do artigo servidas com boas palavras-chave</title>

Isso funciona bem quando o objetivo é entregar conteúdo para seus usuário. Afinal eles são o seu bem mais precioso. Viu como você é importante? Mas quando queremos servir o conteúdo sendo a chave. Podemos inverter essa ordem:

<title>Título do artigo servidas com boas palavras-chave - Autoridade</title>

Isso pode ser feito onde você tem um canal de conversão. Eu faço isso nas páginas dos cursos. Onde minha métrica é vender o produto. Veja que os exemplos não tem qualquer relevância. Vamos a outro exemplo então. Digamos que nossa URL seja: www.upisnide.com.br/artigo/otimizacao-de-sites-com-seo

Neste caso nossas chaves de entrada são Otimização de Sites e SEO. Sim, a chave leva o contexto. Apenas otimização não seria mensurável. Logo nosso title seria:

<title>UpInside Treinamentos – Otimização de Sites com SEO</title>

Agora fornecendo a ligação entre eles e um contexto de leitura, nosso no body poderia levar a seguinte marcação:

<h1 class='logo'>
<a href='home' title='UpInside Treinamentos'>
UpInside Treinamentos – Otimização de Sites com SEO
</a>
</h1>

Um pouco de CSS e tudo fica lindo. Depois marcamos o subtítulo, ainda nesse contexto é claro. Se seu site ainda não é HTML5 não tem problema, (tem sim, mas não é tão grave assim) podemos mensurar o conteúdo apenas com as headings. Mas lembre-se que você não poderá mais repetir o H1 no documento. Neste caso teríamos:

<h2>Vamos iniciar o tutorial sobre otimização de sites. Aqui aprenderemos muitas técnicas de SEO!</h2>

Pronto, abaixo disso basta servimos um conteúdo de primeira, com boa qualidade e que garantam a alegria de seu usuário. E espero do fundo do coração que você esteja feliz neste momento @AlunoNome(rsrsrs).

Resumindo a Opera:

Bom, até aqui temos URL amigável, title, título e subtítulo mensurando o conteúdo fornecendo a propriedade correta para a página.

Já declaramos também a autoridade e servimos o conteúdo. Abaixo deste conteúdo você deve converter o resultado, e ainda mais abaixo servir uma navegação que mantenha seu usuário no site. Se isso for possível. Sua página tem um contexto perfeito.

Lembrando que seu resultado têm várias maneiras de ser mensurado. Capturar um lead, receber um comentário, um compartilhamento nas redes sociais, vender um produto, entre outros vários. Mas sempre escolha um. Pois sem conversão você não cria qualquer vínculo com seu usuário.

As ferramentas:

Depois que passamos por esses detalhes básicos. Temos as primeiras ferramentas a serem utilizadas. Essas vão nos permitir mensurar resultados e dar continuidade a nossa campanha de SEO. Logo faça o seguinte:

Instale o Google Analytics no seu site. Ele vai te ajudar a acompanhar os resultados e melhorar sua estratégia. Mas vai ajudar também o Google a acompanhar isso, e acredite. Ele vai acompanhar.

Conheça também o Google Webmasters. Esse é um canal essencial para iniciar qualquer SEO. Ele fornece a autenticação do seu site, e é por ele que configuramos o sitemap e o RSS do site. Essa ferramenta mais tarde pode ser vinculada a seu GA para o acompanhamento.

**Importante: Caso já tenha o GA instalado a algum tempo, é importante que você refaça isso e coloque o código de acompanhamento dentro do seu head. Aplique ele logo depois dos meta dados. Pois o script mudou. Agora a análise é async, ou seja. Ela é executada ao lado do carregamento do seu site e concluída no load. Com isso você já está pronto para mensurar.

Agora precisamos de um sitemap e um RSS, temos ainda que conectar nosso GA a nossos serviços e ampliar a visão do Google sobre nosso site, configurar nossas métricas de conversão e acompanhar os resultados primários.

Tem um pouco de SMO aqui também. Servir links para que as pessoas compartilhem seu conteúdo não é uma métrica. Hoje isso é uma obrigação. Então fique à vontade para colocar pelo menos o Facebook e o Google+ como canal de compartilhamento.

Alguma dúvida sobre isso @AlunoNome? Pronto para colocar essas básicas em prática? Então #BoraProgamar, ou melhor. #BoraOtimizar!

Compartilhe:

Em Desenvolvimento Web:

Deixe seu comentário: